O empresário uberabense e implantodontista Cristiano Cordeiro tem o empreendedorismo na veia. Formado em odontologia pela Uniube e pós-graduado em implantodontia pela Funorte, desde pequeno sempre foi muito curioso e maker por natureza tanto que já criou um jogo de tabuleiro denominado Odontomake para ajudar as crianças na conscientização da higiene bucal.
cristiano cordeiro
 
Em 2015, no congresso internacional em Fortaleza (CE) que o empresário teve um insight ao fazer a mala para retornar à Uberaba, percebeu a falta de espaço para acomodar todos os seus pertences na bagagem, especialmente de higiene bucal. O dentista não conhecia nenhuma escova que tivesse as funções básicas que precisava (creme dental, fio dental e escova) no mercado. Começou a amadurecer a ideia de que estaria resolvendo a dor de não ter espaço na bagagem e facilitar a higiene bucal nas viagens. Então, Idealizou uma escova de dentes que remetia ao canivete suíço.
 
A partir da participação em eventos no Parque Tecnológico de Uberaba o implantodontista despertou para a possibilidade de formalizar a sua empresa e buscar recursos e investidores para concretizar a realização do projeto com a criação da escova multifuncional chamada Oral All, única no mercado mundial que possui os cinco melhores mecanismos de higiene bucal e um só produto (escova dental, escova interdental, raspador de língua, fio dental e creme dental).
“Sou apaixonado pela odontologia e desde criança gostaria de ser dentista. Alimentei o sonho até conseguir concretizá-lo. Quando me tornei dentista, percebi que era bom promover a odontologia, era uma satisfação pessoal muito grande em poder eliminar a dor e restaurar sorrisos. Sorrir é o primeiro ato de amor. Uma pessoa que não consegue sorrir ela limita muito a vida dela.” explica o dentista Cristiano Cordeiro.
 
Segundo dados da ABF – Associação Brasileira de Franchising de 2015, R$ 2,5 bilhões foi o faturamento das franquias brasileiras no segmento de Odontologia, Estética e Medicina. E foi visando esse mercado que Cristiano começou a vislumbrar a ideia de ser um bom negócio, no qual poderia promover a odontologia aliada ao empreendedorismo “Os produtos que encontrava no mercado eram avulsos, com volume e não eram práticos e até constrangedores se usados em público. Fui tentando desenvolver, criando alguns desenhos e me associando a profissionais que pudessem criar estrutura dessa minha ideia.” acrescenta Cristiano.
 
Para conseguir pleitear recursos provenientes de editais de agentes de fomento, o empreendedor Cristiano Cordeiro criou a startup Oup! e com o apoio do gestor de projetos do SENAI, Rogério Marino Franco e Andréa Marquez, do SEBRAE, conseguiu aprovação em 2017 para lançar a escova mas ainda procura investidores para implantar a escova no mercado “O edital do SENAI é anual mas existem duas fases de avaliação das ideias: avaliação da ideia somente, se é inovadora e tem potencial. Caso a ideia seja aprovada, passa para a segunda etapa de avaliação que é o plano de negócios, sendo um pouco mais complexo porque tem que colocar a visão do projeto e provar que é um projeto que mereça o recurso e que que irá chegar ao mercado.” explica Rogério Franco.
 
Sobre a ideia de Cristiano Cordeiro, Rogério revela que era uma ideia com potencial e conseguimos visualizar no produto dele uma ideia inovadora e muito boa de se trabalhar. “Nós ficamos tentando conseguir o edital por um ano. Nós tivemos também ajuda de consultores do Sebrae, nesse caso específico do Cristiano, não é sempre que a gente consegue porque dependemos de recursos. O projeto dele foi aprovado em 2017 e começou em fevereiro deste ano. É um projeto que tem um aporte de R$400 mil não reembolsáveis e dentro desse valor a gente tenta viabilizar a produção da escova. Lembrando que o valor aportado no edital não vai para o empresário, quem gerencia o valor é a própria unidade contratando profissionais capacitados para serviços, comprar matéria prima. O empresário define juntamente com o Senai onde será investido o valor do aporte e acaba tendo acesso a toda rede do Senai Nacional.”
 
Rogério explica que estão trabalhando com o edital de Inovação desde 2011 e o objetivo desse edital é ajudar o empresário que tenha uma boa ideia de um produto ou até mesmo de melhoria de processos, que seja uma ideia inovadora, a tirar essa ideia do papel e colocar no mercado. E com isso o Senai consegue fomentar a indústria de uma forma tanto regional quanto nacional. “O empresário chega até a nossa unidade com uma ideia, nós fazemos uma avaliação se essa ideia cabe na perspectiva do edital e se positivo, fazemos as etapas de submissão da ideia. Ajudamos o empresário a formular aquela ideia de uma forma mais concreta onde ele consiga executar todos os passos, tirar a ideia do papel, fazer o projeto e depois a fabricação.”
 
Uberaba já conseguiu aprovar outro edital através do bioinseticida CatuchoVIT, específico para o combate à lagarta-do-cartucho no milho (Spodoptera frugiperda), do empresário Paulo César Manara Bittar, proprietário do Grupo Vitae – composto pelas empresas Vitae Rural Homeopatia e Vitae Rural Biotecnologia. Da pesquisa à comercialização o produto contou com o apoio da Prefeitura para intermediar a viabilização sanitária e regulatória do negócio por meio do Parque Tecnológico de Uberaba.
 
“Projetos como o de Cristiano Cordeiro podem ser desenvolvidos na cidade de Uberaba. Se você é um profissional de qualquer segmento e deseja desenvolver um projeto inovador na sua área de atuação, procure a equipe do Parque Tecnológico de Uberaba que fará a “ponte” com agentes de fomento, financiadores, universidades e centros de pesquisa,” explica a gestora executiva do Parque Tecnológico, Raquel Resende.
 
Sobre a seção #queminovaemuberaba, trata-se de um espaço de divulgação de empresários, alunos, professores e pesquisadores que estejam desenvolvendo atividades inovadoras, que envolvam a interação dos atores da tríplice hélice (governo, academia e empresas). Se você conhece alguém que esteja inovando em Uberaba, fale com a gente!
comunicacao@parquetecnologicouberaba.com.br